2 de jul de 2008

Patrimônio Histórico

Cruzeiro Bicentenário



No dia 29 de junho de 2008, Jardim comemorou 209 de história. Em 1799, o povo de Jardim recebeu a visita de Frei Vital de Franscarolo. Nesse período o Padre João Bandeira ainda se encontrava em terras jardinenses indo embora seis meses depois, em 1º de janeiro de 1800. A passagem de Frei Vital ficou perpetuada num cruzeiro por ele erigido no dia 29 de junho de 1799 em frente da então capela, como símbolo das Santas Missões. Na frente do cruzeiro havia uma escadinha, um galo, uma lança e uma caixinha embutida abaixo dos braços da cruz, contendo fragmentos dos ossos de Santa Dorotéia e uma oração com os seguintes dizeres:



“A CRUZ DE CRISTO, OS MÉRITOS DA BEATÍSSIMA E IMACULADÍSSIMA VIRGEM MARIA E DE TODOS OS SANTOS, PROTEJM, SALVEM E DEFENDAM ESTE LUGAR COM TODOS OS SEUS HABITANTES.”



Deixou escrito em livro da igreja:

Eu, Frei Vital de Franscarolo, Missionário e Apostólico, capuchinho Italiano e conventual no Hospício de Nossa senhora em Recife, no ano de 1799, fiz a Santa Missa nesta capela do Bom Jesus da Barra. Aos 29 de junho levantei esta Santa Cruz e quem rezar ao pé dela, 3 Pais-Nossos, 3 Ave-Marias e 3 Glórias ao Pai em memória da Sagrada Paixão e Morte de Nosso senhor Jesus Cristo, ganha por cada vez, 40 dias de perdão, cuja indulgência, por especial privilégio, me foi concedida pelo excelentíssimo Senhor D. Diego de Jesus Jardim-Bispo de Pernambuco.

Dados históricos:

No dia 11 de setembro de 1942, este cruzeiro foi retirado e transferido para o Cemitério São Miguel e lá permaneceu por 57 anos. Quando em 1999 por meio de um projeto da Secretaria de Cultura, o cruzeiro foi totalmente restaurado na sua forma original e recolocado no seu devido lugar.
Hoje, com 209 anos de história e mais uma vez restaurado sob os cuidados da Prefeitura Municipal, podemos considerá-lo como um dos mais antigos e importantes patrimônios históricos do nosso município.



Dados explicativos dos símbolos que compõem o cruzeiro:


O galo: refere-se a Profecia de Cristo, em relação a negação de Pedro.
(João 13. 36-38)
A lança: Sangue e água jorraram do coração de Jesus após o soldado atirar-lhe uma lança para confirmar a sua morte. O sangue e água significam o Coração de Cristo transpassado de amor pela humanidade.
(João 19. 31-37)
A escada: O discípulo de Jesus José de Arimatéia sobe a escada para retirar o Corpo de Jesus Cristo da cruz para ser sepultado.
(João 19. 38)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários