26 de abr de 2009

O Vídeo Enquanto Tecnologia Educacional


O vídeo é um dos melhores recursos pedagógicos. Há vídeos especificamente com conteúdos educacionais, voltados para o processo ensino-aprendizagem, de entretenimento, jogos e musicas, documentários, científicos, com conteúdos não recomendáveis aos propósitos educacionais, etc. No entanto, qualquer um pode ser educativo, tudo depende do propósito e da interpretação que se faz do mesmo, assim como da responsabilidade de quem faz uso do mesmo.


Através do vídeo, podemos fazer viagens impressionantes e impossíveis como: conhecer o corpo humano por dentro, o planetário, os vulcões, as idéias de outras pessoas, conhecer lugares e outras culturas, o mundo inteiro e consequentemente entender conceitos mais rapidamente além de ficar mais entusiasmados com o que estamos aprendendo, por que é possível fazer ligações do conteúdo apreendido em nosso ambiente com o mundo exterior.


Como recurso pedagógico é uma ferramenta excepcional, por que desperta o interesse dos alunos, provoca discussões, serve como ponto de partida para ilustrar um conteúdo difícil de ser trabalhado, complementa conteúdos, e possibilita colocar a todos, professores e alunos em situações desafiadoras de observação, análise e reflexão, estimulando a participação e o posicionamento crítico em relação aos temas abordados. Tudo isso é possível no processo de ensino-aprendizagem, se trabalhado dentro de um contexto apropriado, de forma criativa e planejada.


Apesar de estar comprovado que os vídeos facilitam o processo de ensino-aprendizagem, de estarem em muitos meios, na escola, inseridos nos softwares educacionais e na web, eles não são sucesso na sala de aula, seu uso é bastante limitado por várias razões entre as quais podemos destacar as salas de aulas desconfortáveis e superlotadas, a falta de tempo dos professores para estudar e analisar, a falta de domínio tecnológico, o comodismo e principalmente falta de ousadia para quebrar velhos paradigmas.


O vídeo é resultado de um trabalho para ser compartilhado. Por isso a escola não deve ficar apenas de expectadora ou consumidora de vídeos. Hoje com os recursos áudios-visuais disponíveis na escola e com os softwares gratuitos disponibilizados na web, temos possibilidades de produzir, editar e publicar, contribuindo para o engrandecimento da teia de informações e disseminação de nossa cultura. Documentar eventos, registrar experiências, mostrar trabalhos realizados pelos alunos, são algumas das possibilidades para a escola produzir seus próprios vídeos. O que deve ser importante não é o uso do vídeo como um fim, mas como meio, visando a melhoria da aprendizagem e a formação cidadã do aluno.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários